sexta-feira, 30 de agosto de 2019

BREVE HISTÓRICO DO DETRAN DE GOIÁS

                   
  Até meados do ano de 1970 quem queria tirar carteira de motorista ia nos antigos Prédios da Secretaria de Segurança Pública e do Departamento de Trânsito que ficavam lá pelas bandas da Avenida Contorno, Rua 68, rua 55 e Av. Independência, onde ficavam também os principais prédios da Polícia Civil de Goiás. Até um Prédio do Corpo de Bombeiros e da Casa de Prisão Provisória existiam por ali. Além do “QG” ou Comando da PM de Goiás.

 Contudo, em 1979 foi inaugurado o DETRAN- Departamento Estadual de Trânsito, no mesmo local onde se encontra até hoje, ou seja, na Avenida Atílio Correia de Lima, na região da Cidade Jardim, em Goiânia, Go. Anexo ao prédio do Detran estão algumas Delegacias especializadas da Polícia Civil e até o Instituto de Medicina Legal- IML, este na Avenida Atílio Correia de Lima.

  O Local onde se situa o Detran, e estes outros órgãos estaduais, era todo pertencente ao Hipódromo da Lagoinha (Hipódromo Ubirajara de Ramos Caiado, uma área anteriormente doada ao Estado pelo médico Altamiro de Moura Pacheco, onde tinham somente as Corridas de Cavalos até meados dos anos 70. Depois, de 1975 em diante começaram as construções dos primeiros prédios do atual Detran. Ainda tem o Hipódromo e as corridas de cavalos, mas com a construção dos prédios do Detran, a parte destinada ao Hipódromo, ficaram reduzidas.  
                                      
 Em 1979 já os departamentos do órgão estavam funcionando, embora de forma precária, no local onde se situam hoje. E em 07 julho de 1980, o Departamento de Trânsito de Goiás (Detran) conquistou autonomia financeira e administrativa.

 Mesmo sem estatísticas, em 1979 a frota de veículos e a demanda por carteiras de habilitação já cresciam exponencialmente. Desde essa época, o Detran Goiás passou a funcionar onde hoje é a sede atual, na Cidade Jardim, em Goiânia, dividindo espaço com as delegacias de Furtos e Roubos e de Veículos e outras especializadas.

 Uma nova sede não era o bastante para atender à demanda crescente. Assim, o então diretor do Departamento de Trânsuto, o coronel Ademar Ângelo Rezende, abraçou a proposta do Governador Irapuã Costa Júnior de transformar a diretoria em uma autarquia, com autonomia financeira e administrativa. O coronel Ademar fez um trabalho de corpo a corpo, de formiguinha mesmo. Procurando Deputados para aprovarem seu Projeto, colocar no papel a sua ideia.

  Em 7 de julho de 1980, foi publicado o decreto que transformou a diretoria em autarquia. Com isso, surgiu um novo desafio, formar o quadro de servidores. O coronel foi contratando. Teve gente que deixou de ser policial civil para se tornar funcionário do Detran. Era o próprio coronel Ademar quem conduzia as entrevistas de admissão.
                                                    
  Com a transformação em autarquia, também foram criadas as coordenadorias e as três diretorias (Administrativa, de Operações e Técnica). Na época, as diretorias ficavam no Bloco 2. Ela acrescenta que, como a capital era bem menor em 1980 – contava com população de 738.117 habitantes, quase metade do número levantado pelo censo em 2010, 1.302.001, o Detran-GO parecia ainda mais distante do centro da cidade. Era muito longe de tudo. Não tinha asfalto, nem dentro nem fora. Até 1º de janeiro de 1980 o Detran-GO, era muito pequeno. A parte interna não tinha asfalto, onde é a pista de prova prática hoje, era um campo de futebol”. Só a Avenida Pio XII era asfaltada.


 No início dos anos 80, não havia sistemas ou arquivos digitais no Detran. No setor de multas, por exemplo, o atendimento era manual. O proprietário do veículo fazia a solicitação. O funcionário procurava no arquivo e calculava. No outro dia, a pessoa voltava para saber o valor a ser pago. Era um trabalho todo manual, com controle por meio de fichas, tal qual eram nos bancos com a nossas contas. A informatização começou ainda na década de 80. O Registro Nacional de Veículos Automotores foi criado anos depois. Ao se integrar, o Detran-GO passou a contar com banco de dados informatizado. O Registro Nacional de Carteiras de Habilitação surgiu depois. Com o tempo e a Internet chegando, tudo foi ficando informatizado, como é hoje. Embora ainda surjam contratempos, quando se muda uma coisa nos arquivos eletrônicos, programas de computadores etc. De lá para cá ocorreram avanços relevantes, já no início dos anos 80, mas foi seguida de uma estagnação. Um dos entraves enfrentados nos anos 90 foi a falta de investimentos em tecnologia e capacitação. Quando veio o Plano Real, o poder aquisitivo da população melhorou. Com isso a frota de veículos teve um salto significativo, mas a estrutura do Detran continuou quase a mesma.

 De alguns anos para cá, foi que os administradores voltaram a investir com a informatização de todo os sistemas de emissão de carteiras de motoristas e demais documentos. Embora a cada ano dificultem mais e mais para as pessoas tiraram suas CNHs. A partir de 2018, diziam que, até para a 2ª Via, as pessoas seriam obrigadas a fazerem curso, novos exames psicotécnicos etc. Mas pode já ter mudado isso, pois as leis também mudam todos os dias no Brasil.

No ano de 2019 completa-se 39 anos do Detran já como Autarquia Estadual, com autonomia financeira, mais bem estruturado para atender os interessados, que são muitos, uma vez que a frota de carros em Goiânia aumentou muito. Hoje são mais de um milhão de veículos. No interior existem a CIRETRANS que cuida da emissão de Carteiras de Motoristas, todas elas vinculadas à Administração do Detran Estadual, cuja sede continua na Cidade Jardim, em Goiânia, Go, como já citamos linhas atrás.

 OBSERVAÇÔES: 

 Apesar de muitas ingerências políticas e de funcionários indicados para cargos comissionados, o Detran vem suportando todo tipo de críticas. Muitos militares já se beneficiaram desse órgão se perpetuando em cargos chaves. Há denúncias até de desvio de dinheiro para outros órgãos, e para candidatos e partidos políticos, que são especialistas em corrupção. Mas esta é uma outra história... 
Afinal de contas, no Brasil onde tem dinheiro e político, tem corrupção.
................................................................................................................................................

Pesquisa, Compilação e Texto final de Antônio Luiz Gomes –Bacharel em Direito e Escritor  Goiânia, Go 30 de agosto de 2019

Nenhum comentário:

Postar um comentário