quinta-feira, 30 de maio de 2019

Alegrias e Decepções de um escritor ainda desconhecido.


Quatro anos atrás doei de presente, a um conhecido(como sempre faço) um livro de minha autoria,com apenas 40 páginas,onde conto uma aventura que passei no Nordeste brasileiro.É uma história real,verdadeira e o título desse simples livro é "O Lobisomem da Serra Vermelha".
Esse livro eu nunca vendi um só exemplar,pois o fiz com objetivo de doar mesmo. Já doei mais de 500 exemplares dele. E ainda tenho uns 500 para doar,pois foram editados 1000 exemplares. Passados uns seis meses encontrei com esse rapaz,que é formado em história e muito amigo de minha filha e lhe perguntei que achou da história que contei naquele livro autobiográfico que eu havia doado pra ele. Ele simplesmente me disse que não leu porque não teve tempo (ou interesse, eu acho). Fiquei chateado,claro. 
Dois anos depois,enviei uma segunda edição,mais completa, deste mesmo livro,para um outro amigo que mora na Argentina,mas que conhece bem nosso idioma português, pois morou e trabalhou aqui no Brasil por muito tempo,mais precisamente no Estado de Goiás,onde moro. Ele não só leu este livro, como me mandou a sua impressão sobre o livro (o que achou dele). Disse ainda que gostou muito .Achou até um pequeno erro de colocação e numeração de páginas no final,onde faço uma espécie de índice remissivo das palavras difíceis que falávamos no Nordeste.Pelo que agradeci e fiz a correção para as edições futuras do mesmo livro.Hoje há uma segunda edição deste livro sendo vendida ,com mais de 140 páginas,bem melhor editado e publicado.E eu o agradeci por isso,pois eu não havia feito a revisão do livro até então,ou seja,na época que enviei o livro para ele. 
E, em 2016,por ocasião do casamento dessa minha filha que é amiga do meu amigo que não se interessou em ler meu livro,ele estava lá e me cumprimentou meio sem graça. Depois ,minha filha me disse que após falar para ele que fiquei chateado por ele não ter lido meu livro,ele falou que iria ler. 
E leu. Mas não disse o que achou do mesmo.
É por essas e outras que continuo escrevendo,para agradar algumas pessoas que gostam do que escrevo. E também para outras pessoas, (estranhas) que por ventura comprem um só exemplar de algum de meus livros. 
E não paro de escrever. Agora estou no 13º Livro,que é,na verdade, a minha autobiografia. Mas não deve ser meu último livro,pois pretendo viver mais um pouco !
E penso assim: Se uma só pessoa vier a ler um destes meus livros e disser que gostou ou que não gostou, já valeu a pena. O escritor escreve para que outros leiam. E deve estar preparado para tudo,inclusive críticas à sua obra. Afinal de contas o ofício do Escritor é escrever mesmo. E ficar conhecido,se possível.
Se tem quem o lê,quem o valorize ,é o máximo.
Se vender exemplares do seu livro,é a felicidade.
-Ser imortal ?
-Só para quem não tem onde cair morto !
...............................................................

P.S. Atualmente os meus 12 livros, já publicados de forma independente, estão sendo vendidos pela Amazon.com e pelo Clube de Autores (www.clubedeautores.com)
.................................................

A.L.G. 30 de maio de 2019