terça-feira, 2 de julho de 2019

AS MELHORES MÚSICAS CATÓLICAS - Grandes sucessos - PARTE III

A FESTA,A DEVOÇÃO E A FÉ EM TRINDADE,GOIÁS.



          
                           1- A FESTA
Em primeiro lugar vale dizer que a Cidade de TRINDADE, GO, fica a apenas 18 quilômetros de Goiânia, (trevo a trevo), mas que, com o crescimento da Capital, praticamente Trindade já faz parte do aglomerado urbano de nossa Metrópole, que é a Capital do Estado de Goiás.
Todos os anos, no final de junho e começo de julho acontece a chamada "Festa de Trindade", com duração média de 10 dias. Embora a peregrinação dos romeiros comece bem antes e continue depois do dia final. Aliás, há a peregrinação à Cidade de Trindade durante todo o ano. São muitos os brasileiros, de vários cantos do país, que visitam Trindade. Também pessoas de outros países visitam esta importante cidade de turismo religioso. O principal foco são as missas, as solenidades de oração e devoção ao Divino Pai Eterno (que é como o homem simples denomina DEUS).
Mas há toda uma festividade paralela, e feiras com barraquinhas, desfile de carros de bois, etc. Na maioria dos anos ocorreram shows com cantores sertanejos e outras atrações, porém, a partir de 2015 a festa esteve voltada apenas para os rituais de fé da religião católica. Em outra parte da cidade, há festas,circos etc. Mas ainda há locais específicos para shows de artistas populares, principalmente sertanejos e alguns cantores religiosos,que voltaram este ano.

Todos os dias tem várias missas, celebrações, e novenas realizadas nas Igrejas e na Basílica de Trindade, GO. A maioria delas é transmitida pela TV e pelo Rádio, Rede Vida, TV Anhanguera, TBC-Cultura, GO, e pela Rede Aparecida /PUC-TV-GO e também pela Rádio Difusora de Goiânia (AM) e pela Rádio Vox Patris (FM). A partir deste ano de 2019 também pela TV Pai Eterno,que é vinculada à Igreja Católica de Trindade mesmo.

                            2-A DEVOÇÃO:  

                           "Tudo começou com um medalhão"
  
A DEVOÇÃO AO DIVINO PAI ETERNO teve início na fé simples do povo sertanejo. A evolução histórica dessa devoção é o testemunho ocular de que Deus se revela de modo especial a partir do pobre, do humilde. Mas não se deve entender aqui a pobreza material. Diz-se da humildade do coração. No cotidiano da agricultura, na sucessão dos dias na roça,na fala coloquial e simples do campesino, reconhecemos a presença amorosa do Pai que acampou eternamente nas terras goianas.
                            3- A HISTÓRIA :
Em 1840, um pequeno medalhão de barro foi encontrado pelo casal Ana Rosa Oliveira e Constantino Xavier Maia, quando ambos lavravam a terra para cultivo. De imediato, contemplaram a imagem em alto-relevo da Santíssima Trindade coroando Maria (a mãe de Jesus), e perceberam uma pequena fenda no canto em que a enxada bateu. Logo após o achado foi levado para a casa deles, onde a família começou a rezar o terço e a fazer novenas em torno do medalhão. A notícia se espalhou em questão de pouco tempo. Rapidamente, os vizinhos foram se unindo àquele círculo de fé e oração, que conta hoje com 176 anos de história! (Até a feitura deste livro)
                            A casa da família de Constantino foi o primeiro Santuário do Divino Pai Eterno. No entanto, com o aumento do número de devotos, foi construída, em 1843, uma pequena capela coberta com folhas de buriti. Mesmo assim o espaço ainda era pequeno para o contingente que vinha de longe, no intuito de conhecer a devoção. Justamente por isso, o próprio casal doou um pedaço de terra, às margens do córrego Barro Preto, edificando assim uma nova capela. Ao mesmo tempo, Constantino seguiu para a cidade de Pirenópolis (GO). Lá se encontrou com o artista plástico VEIGA VALE, o qual esculpiu, em tamanho maior, a imagem em madeira cozida, que está em veneração até os dias atuais. Na imagem está contido o Deus da Revelação Cristã. Trata-se da experiência mais bela e fecunda da fé, pois "Nele vivemos, nos movemos e existimos"(Atos,17,28). 
Na Santíssima Trindade, confirmamos a nossa identidade de filhos, somos gerados no Amor e integrados no Mistério que nos comunica. Seu próprio ser, testemunhando-O, no cotidiano da existência. Aqui está o sentido da devoção!Surgiu assim, a partir daí a importância dessa imagem que é venerada até hoje em Trindade, GO: Com o PAI, (Representa Deus); o FILHO (Representa Jesus); a POMBA (Representa o ESPÍRITO SANTO, conforme nos diz o Evangelho), Coroando solenemente a VIRGEM MARIA (a Mãe de Jesus).
                             4-FÉ CRISTà :
  Conhecemos o rosto de Deus por meio da vida histórica de Jesus de Nazaré. Graças à ação de Jesus Cristo, podemos afirmar que não fomos abandonados à sorte da história, nem somos órfãos de paternidade. Existe um Deus que nos ama, nos salva e nos cria na incondicionalidade do Amor. 
Por mais que imaginemos estar desamparados economicamente, solitários no curso da vida ou esquecidos por aqueles que amamos, a Escritura nos afirma: " Por acaso uma mulher se esquece da sua criancinha de peito? Não se compadecerá ela do filho do seu ventre? Ainda que as mulheres se esquecessem, eu não me esqueceria de ti. Eis que te gravei na palma da mão" (Is 49,15-16a).
Por amor, o Pai Eterno planificou a nossa vida quando inseriu nela o seu Filho amado. Portanto, unidos à pessoa de Jesus conduzamos nossa vida com a dignidade que ela merece. Demos testemunho daquele no qual cremos, não somente por palavras, mas com atitudes concretas. Ninguém irá crer sem ver nossas obras. 
Se não fazemos diferença, assumindo a evangelização e sinalizando a vida para Deus, há algum distanciamento do Evangelho que professamos. 
Fé e prática são dois lados de uma mesma moeda.

Não deixemos de conceder o testemunho do Pai, no tempo presente, pois Ele já está dando testemunho de nós há muito tempo.
Assim, quando chegarmos ao término dessa existência terrena e partirmos rumo à Fonte de nossa vida, que é Deus, seguiremos com a consciência do dever cumprido, sem obrigações, mas por escolha livre e responsável! 

-É para isso que somos filhos e devotos do Pai Eterno (*)

-----------------------------
Texto : ALG -  Reedição : 02 de julho de 2019.

(*) - Parte desse Texto tirado de um folheto da AFIPE-GO.