sábado, 13 de julho de 2019

O MASSACRE DE SREBRENICA (Bósnia-Herzegovina)



                               Todos os anos, no dia 11 de julho, na Cidade de POTOCARI, na Bósnia-Herzegovina, em atos simbólicos, são feitas cerimônias de enterros e colocadas rosas vermelhas e brancas sobre os túmulos das chamadas vítimas do “Massacre de Srebrenica”, ocorrido no mês de julho do ano de 1995, quando cerca de 7.500 a mais de 8.000 pessoas, a maioria de homens e meninos deste “enclave” Sérvio na região conhecida hoje como Bósnia Herzegovina, foram assassinados pelas tropas sob o comando do General RATKO MLADIC (1*).
                            Este Genocídio é considerado como um dos maiores assassinatos em massa da Europa, do século XX e um dos maiores de todos os tempos, perdendo apenas para os que ocorreram na Segunda Guerra Mundial, com Hitler mandando exterminar milhares de Judeus. Porém, se levarmos em conta a etnia, este de Srebrenica seria comparado ao massacre feito pelos turcos otomanos na Armênia em 1915, e que completou cem anos em 2015, por ocasião do feitio deste livro.

(1 *) - O General Ratko Mladic esteve foragido desde o final desta Guerra na Bósnia, em 1995, mas, em 2011, foi preso por ordem dos Juízes Internacionais da Corte de HAIA, e julgado pelo Tribunal de Crimes de Guerra situado em Haia, na Holanda.
                            Ressalte-se que ele não fez isto sozinho, pois teve a ajuda de muitos militares e apoio do político Slobodan Milosevic, da Sérvia, que também foi preso e julgado em Haia e morreu na prisão, em 2006. E vale dizer ainda que outros responsáveis por esta guerra injusta e por este Genocídio foram julgados e condenados, pelo Tribunal de Crimes de Guerra, situado em Haia, na Holanda Entre eles o Político Sérvio-Bósnio Radovan Karadzic.
                            Segundo se sabe hoje em dia, através dos jornais da época, vídeos, livros e reportagens da TV, por causa dos “Ventos de Mudança” que ocorreram na Região da antiga Iugoslávia, após queda e morte do Ditador Militar JOSIP BROZ TITO, começaram os movimentos por independência de Nações e povos de origens (etnias e religiões) diferentes.
                             Até 1989 havia uma divisão na Europa com a Influência e dominação da RÚSSIA (União Soviética) sobre alguns países; e por outro lado, com a Alemanha dominando politicamente outra parte, embora ainda dividida em Oriental e Ocidental, pelo famoso MURO DE BERLIM.
                            Com a queda do Muro de Berlim, em 1989 que ocorreu depois da Morte do Marechal TITO, na Antiga Iugoslávia, as Nações e povos da Região começaram a se movimentar para formar seus próprios países. Com isso, em 1991, começou a divisão territorial da Iugoslávia, surgindo, a partir daí a Eslovênia, Montenegro, Macedônia, Sérvia, Croácia e a Bósnia-Herzegovina, que foram separadas por etnias, origens históricas e religiões diferentes. Embora, na Bósnia-Herzegovina naquela época, existiam pessoas da origem servo-croata e de várias religiões, como católicos, muçulmanos e Cristão Ortodoxos.
                            E, inicialmente, por causa de território e depois com a desculpa de “lavagem étnica”, começou em abril de 1992 a chamada Guerra da Bósnia, que na verdade era uma guerra entre Sérvios e Bósnios, que duraria até julho de 1995. Portanto, o fim deste conflito completou 21 anos até a data da feitura deste livro.
                            E foi exatamente bem próximo ao final definitivo desta guerra que, em julho de 1995, os dirigentes políticos e os generais da Sérvia, com a tal desculpa de “limpeza étnica”, resolveram matar os meninos e os homens MULCULMANOS, que viviam na Região de SREBRENICA, que era, em verdade, uma espécie de “Enclave” Sérvio dentro da própria Bósnia, mas que era composta de Sérvios, porém da religião Muçulmana. Estes eram chamados de “BOSNIAKS”.
                            Fizeram esta Carnificina de maneira metódica: Segundo consta, os Militares Sérvios separaram os meninos e os homens mulçumanos e os tiraram de dentro de casa e os executaram sumariamente, fuzilando-os sem dó nem piedade. E fizeram isto sob a vista e na presença do general RATKO MLADIC e este obedecendo ordens expressas do Político Slobodan Milosevic, que viria ser o líder dos Sérvios nesta ocasião. Ele foi tido inicialmente, como um “herói” e fundador desta Pátria Sérvia. Mas depois de passado o período da Guerra, ele virou Criminoso de Guerra, assim reconhecido internacionalmente. E foi perseguido e preso por soldados da ONU.
                            Além deles, estava à frente desta carnificina um outro General, de nome RODOVAN KARADZIC, Ex-presidente da República SRPSKA entre 1992-1996 (parte da Antiga Iugoslávia, já reconhecida à época pela ONU) E que por sua maldade, ficou conhecido como o “Carniceiro da Bósnia”, pela Imprensa Internacional. Ele também foi preso depois e condenado pelo Tribunal de Haia.
                            Vale lembrar que três grupos étnicos e religiosos da Região se envolveram nesta “Guerra Civil” da Bósnia, também conhecida como Guerra de Agressão:
                             a) - Os Sérvios-Cristãos Ortodoxos;
                             b)  -Os Croatas–Católicos Romanos; e
                             c) –Os Bósnios de origens Mulçumana, que foram as maiores vítimas.
                              Este conflito na região, iniciado em abril de 1992, e terminado oficialmente em 14 de dezembro de 1995, com assinatura do Acordo de Dayton, em Paris, matou mais de 200.000 pessoas, sendo que destas, 83% eram Bósnios; 10% de Sérvios, e 5º de Croatas.  A desculpa da “Limpeza Étnica” vigorou na época para os Croatas (ou sérvios-croatas). Enquanto que, para os Bósnios o que ocorreu foi uma “Agressão “.  Contudo, para os BOSNIAKS, muçulmanos do Enclave de Srebrenica, que tiveram seus homens e meninos massacrados, foi um GENOCÍDIO mesmo. O que depois foi reconhecido como tal pelo Tribunal de Haia, na Holanda e pela ONU, oficialmente.  Infelizmente o Tribunal de Haia não julgou, na época, a omissão dos SOLDADOS HOLANDESES a serviço da ONU, que, deslocados para dar proteção aos muçulmanos de Srebrenica, NADA FIZERAM!
                            Já dissemos linhas atrás, mas vale a pena repetir que, toda esta zona de guerra começou com o clima hostil surgido a partir da desintegração da antiga IUGUSLÁVIA, em 1991. E depois só aumentaram as “tensões” entre os povos da região, após as Independência da Croácia e da Eslovênia, o que incentivou aos outros povos, de origens e etnias parecidas, porém diferentes a se movimentarem politicamente para formar os seus países. Devemos dizer aqui, só para os que não sabem, que PAÍS é uma Nação (povo) politicamente organizada, com território devidamente demarcado e reconhecido por outros países e pela própria ONU.
                            No caso da Sérvia, de Slobodan Milosevic, este dizia querer formar seu País, mas que, com a desculpa mentirosa de unir os sérvios, que estavam espalhados pela região, fez foi atacar a região da atual Bósnia, e eliminar, sem piedade, os Sérvios-Muçulmanos (BOSNIAKS) que viviam no Vale do Drina (*). E repetimos aqui que, embora já houvesse uma força de paz da ONU, (a UNPROFOR) formada por 400 soldados holandeses, postada e armada naquele local desde 1994, para proteger estes Bosniaks, (a chamada “Força de Paz”), essa se omitiu, e nada fez para impedir o Massacre de Srebrenica, ocorrido no dia 11 de julho de 1995.
                            A ONU (Organização das Nações Unidas, com sede em Nova York -U.S.A.), havia declarado, em 1994, que o Enclave de Srebrenica, (Nordeste da Bósnia) onde vivam os BOSNIAKS, como “ÁREA SEGURA”.  Porém os tais Dutchbats Holandeses que compunham essa Força de Paz da ONU e que lá estavam, nada fizeram para impedir o Massacre. Esta é a verdade dos fatos, que veículos de comunicação não difundiram na época, mas que acabou vindo à toma. A VERDADE SEMPRE APARECE! ______________________________________
(*) - Rio que fica na região do Enclave de Srebrenica, na Bósnia-Herzegovina.
(2*) - Em 2015, veiculou-se a notícia de que o povo da Bósnia (Os Bosniaks) através do Tribunal Internacional de Crimes de Guerras, move uma Ação de Indenização de milhões de dólares contra a ONU por causa deste episódio envolvendo a omissão dos soldados Holandeses (OS DUTCHBATS) que estava a serviço da ONU.
                            E após pesquisar bem este assunto, me sinto à vontade para dizer aqui que: Ou os Soldados Holandeses foram covardes, ou não puderam evitar que o Exército VSR (Unidade do Exército da República SRPSKA - ou Sérvia) também chamado de Exército Popular Iugoslavo, (na época um País já reconhecido pela ONU), com o apoio da Sérvia de MILOSEVIC; das tropas do General RATKO MLADIC; e ainda a cooperação do Político Sérvio-Bósnio RADOVAN KARADZIC, fizessem o tal Massacre.
                             Segundo consta ainda nos anais da História, com relação a este episódio triste da chamada “ Guerra da Bósnia”, uma Unidade Paramilitar da Sérvia conhecida como SCORPIONS, que, oficialmente era parte do Ministério do Interior, com base em Belgrado, também participou deste Massacre de Srebrenica.
                             Nesta Guerra da Bósnia, não morreram só os muçulmanos de Srebrenica já citados, mas também muitos Católicos Romanos de origem sérvia, ou bósnios cristão-ortodoxos e ainda muitas mulheres e crianças civis, que nada tinham a ver com essa louca e sangrenta guerra de três anos e meio de duração, por interesses de políticos ambiciosos e generais sanguinários a serviço deles.
                            Ressalte-se que estes generais sanguinários que apareceram nesta época a serviço de seus interesses de promoção e das vaidades políticas dos emergentes Slobodan Milosevic e Radovan Karadzic, eram originários ainda da época da Ditadura do Marechal JOSIP BROZ TITO, um militar linha dura que governou a Iugoslávia desde o final da Segunda Grande Guerra Mundial. Ele foi um dos Líderes dos “PARTIZANS”, da Antiga Iugoslávia que lutou contra os NAZISTAS de Hitler. Depois da Guerra, com apoio da União Soviética (U.R.S.S.) e Aliados, ficou no poder entre 1945 a 1953, como um Primeiro-Ministro.  E depois, como Ditador Militar, e Presidente, entre 1953 a 4 de maio de 1980, ano em que morreu.
                             Voltando à Guerra da Bósnia, durante este período e alguns meses depois de finda, o Sérvio Slobodan Milosevic foi tido como uma espécie de herói para uma minoria do povo sérvio. Depois, considerado como Criminoso de Guerra ficou um tempo foragido, escondido, mas foi preso e condenado pelo Tributal de Haia, vindo a morrer na Prisão, no dia 11 de março ano de 2006.
                             Anos depois de tudo, nos finais do século passado (Século XX) e começo deste nosso século (XXI), O Tribunal de Crimes de Guerra de HAIA, na Holanda, após levantamento de todos os fatos, considerou o Massacre de Srebrenica como um GENOCÍDIO e predeu também o Ex-Presidente da República SRPSKA (Sérvia), o Sérvio RADOVAN KARADZIC, que estava escondido em algum lugar e foi preso no ano de 2008, por ordem deste Tribunal. Em 24 de março de 2016, ele foi condenado a 40 anos de prisão, pelo genocídio de Srebrenica, conforme notícia veiculada nas TVS do mundo inteiro.
                             E finalmente em 2011, após ter sido preso o General RATKO MLADIC (que esteve foragido desde o ano de 1995), este foi condenado pelo mesmo Tribunal Internacional. Está preso até hoje.             
                             No ano do “fazimento” do rascunho deste Livro, em 2015, completou-se 20 anos desde o final da Guerra da Bósnia.  E todos os anos, por ocasião da data do Massacre, (11/07), acontecem as cerimônias de reverência aos mais de 8.000 de muçulmanos mortos.
                             Parentes e descendentes dos falecidos enterram os restos mortais encontrados em vários locais e valas comuns, espalhadas pela região, e numa cerimônia única, com lamentações e cânticos, choram seus entes queridos, vítimas desse genocídio.
                             Só que agora fazem isto num único local, O Cemitério da cidade de POTOCARI, bem limpo e organizado, onde há uns pequenos obeliscos brancos com todos os nomes e números dos falecidos. Fazem isto a todos os anos, colocando rosas vermelhas e brancas nos túmulos, numa comemoração triste e comovente.
                             Neste cemitério há também uma lápide grande ou grande obelisco, onde constam todos os nomes dos falecidos, vítimas deste cruel Massacre.
                             Na última vez que se noticiou sobre o assunto, no ano de 2015, em reportagem da TV de Portugal, o número de mortos foi aumentado, por terem encontrado mais corpos. Agora são 8.373 vítimas.
                             NOTA IMPORTANTE:
                            O pior de tudo neste triste acontecimento, além da impotência e da omissão dos Soldados holandeses da ONU, foi a prepotência mentirosa do governo dos Estados Unidos da América, que chegou a mandar produzir um filme de propaganda, nos anos 90, para mostrar que eles lutaram na Guerra da Bósnia, onde eles nem tinha um lado para defender quem quer que seja. Na verdade, eles nunca estiveram lá, no meio da Guerra Sangrenta. A “coisa” toda foi resolvida na Europa, com apoio de diplomatas inglese e franceses, tanto que foi um acordo assinado em Paris, com a interferência da OTAN, em 14 de dezembro de 1995 que pôs fim à guerra,
                             Esta história de Estados Unidos na Guerra da Bósnia foi mais uma das mentiras do BUSH, o pai, um dos Presidentes mais mentirosos do Mundo.
                            Parece que a História do Mundo sempre está se repetindo. Ou como tragédia ou como farsa.  Já não vimos este filme antes? Com o louco Adolf Hitler mandando matar milhares de Judeus?
                             Isto ocorreu na época da Segunda Guerra Mundial, em Sobibor, Terblinka e Aschwitz, na Polônia.
                            Já ouviram falar também no “Massacre de Babi Yar” ocorrido, na Ucrânia em 1942? (3*)
                            E para mim ditadores como, Hitler, Milosevic, Mladic, Karadzic, (SERVIA) Bush pai e filho (EUA), Saldam Hussein (IRAQUE), Bashar Al Assad (SÍRIA) ou Mubarak (EGITO), são todos iguais. Loucos políticos que mataram por estar no poder, para se manter no poder.
                            Estariam estes Ditadores, Líderes Políticos ou Presidentes a serviço do Diabo?
                             De qualquer forma, não serei eu que vou julgá-los. Todos terão que pagar por isso, no “Julgamento da Morte”, (Juízo Final), como diziam os latinos.
________________________________
(3*) -  Veja mais detalhes sobre o “Massacre de Babi Yar” no Capítulo II deste mesmo compêndio, que trata do “Time da Fábrica de Pão n º 1, de KIEV-UCRÂNIA.
 P.S. -Existe um livro, “BABI YAR” do Escritor Russo Anatoly Kusnetsov que pode ser encontrado em algumas livrarias famosas. É um livro raro!
                            NOTA IMPORTANTE 2: O Jornalista brasileiro de nome GUSTAVO SILVA esteve na Bósnia pesquisando, no ano de 2009 e lançou um livro sobre o Massacre de Srebrenica, cujo título do livro é: “ DA ROSA AO PÓ- HISTÓRIAS DA BÓSNIA PÓS GENOCÍDIO”, Lançado no Brasil, em 2011.
                            A Guerra da Bósnia somente se encerrou de verdade em 14 de dezembro de 1995, após os Países em guerra assinarem o Acordo de Dayton, feito inicialmente nesta cidade dos Estados Unidos, em 21/11/1995, mas que só foi assinado em PARIS com a interferência da OTAN (Organização do Tratado envolvendo os países do Atlântico Norte).
                             Mesmo assim há revistas e informes tendenciosos que dizem que foram os Estados Unidos que conseguiram pôr fim a esta guerra, o que não é verdade.

Autor do texto original :A.LG.
........................................
 NOTA : Este texto original é parte integrante de meu livro "FATOS HISTÓRICOS E RELIGIOSOS" publicado pela Amazon.com em janeiro de 2019